30/07/2014 18:30  •  Atualizada em 30/07/2014 18:32

Sairemos de Vermelho

Texto escrito por Rafael Magalhães em seu blog para descrever a paixão vermelha


Fonte: Precisava Escrever

Quase tudo aqui vai mudar. Aqueles jogadores vestidos de vermelho logo irão embora. O cara gritando na ponta do gramado também. De alguns deles nós vamos nos lembrar, outros passarão despercebidos. O adversário também há de mudar tantas vezes, assim como o campeonato e todo resto. Mas sabe de uma coisa? Isso tudo não tem mesmo importância. A única parte dessa história que não muda fica do lado de cá do alambrado. O que não se apaga, não se explica, não se mede.

O sentimento, a amizade, as histórias, a paixão que desafia qualquer racionalidade. Daqui uns dias começa outro campeonato, e sei que do lado de cá tudo vai continuar como sempre foi. E quando vestir minha camisa vermelha, alguém vai me ver saindo de casa e me questionar o porque de ainda ir ao estádio. Aí eu vou sorrir, e seguir meu caminho, porque não sou tolo de tentar explicar o que nem eu mesmo consigo entender. O que sei é que não é o lado de lá que me faz sair de casa, e sim o lado de cá. E tudo vai continuar como antes, muito amor de fora, muita falta dele lá dentro. E se um dia, daqui muitos anos, essa falta de amor e competência deles conseguir acabar com o meu time, então ai sairemos de vermelho mais uma vez, sentaremos a sombra de uma árvore e relembraremos nossas histórias.

A história do time cujo a torcida não tinha motivos para amar, e amava. A história do time que não tinha forças para duelar contra o rival, e duelava. O time que tinha tudo para dar certo e não dava. A torcida que tinha tudo para acabar e sobrevivia. A história da camisa cor de sangue, da torcida que não tinha um time, dos heróis desconhecidos. A história do time do meu avô, do meu pai, dos meus amigos, da minha infância. A história do meu Vila.



Mais notícias




Programa de rádio

Edição 160 - Célio Gaúcho

Todos os domingos às 12h na Rádio 730

Enciclopédia


As temporadas de 1993 e 1994 foram as edições do Campeonato Goiano onde os campeões tiveram o maior caminho, 45 jogos, até levantar a taça de campeão. Em cada uma dessas edições tivemos 18 equipes, um recorde de participantes da história da competição.