16/10/2014 09:23  •  Atualizada em 09/12/2014 23:12

Homero Sabino: Um homem dividido entre a bola e a caneta

O desembargador foi jogador do Goiás, Goiânia e seleção goiana nas décadas de 1950 e 1960.


Rafael Bessa/Futebol de Goyaz

Homero Sabino de Freitas nasceu em Rio Verde e muito pequeno seguiu para Goiânia, na companhia dos pais testemunhou o crescimento da capital goiana na década de 1930. Sua família guarda com carinho ter sido uma das pioneiros na implantação do comércio na cidade recém criada.

Pelos gramados, ninguém o conhecia pelo nome, o apelido de infância - Didiu - era mais famoso entre os amantes do futebol. Centro médio, ou volante dos tempos atuais, Homero começou a carreira no Goiás depois de ter sido preterido pelo time do coração, o Goiânia Esporte Clube. Defendendo as cores alviverdes, foi campeão goiano em 1951, porém o título foi parar nos tribunais e o verde perdeu a taça.

Dividido entre a magistratura e o futebol, Didiu resolveu se tornar Dr. Homero Sabino, juiz de Arraes e Formosa. Se tornou presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás onde criou o projeto "Justiça Itinerante".

O desembargador ama as leis, mas jamais deixou de se orgulhar dos feitos no esporte, inclusive dos dribles sofridos por Garrincha em um amistoso em solo goiano.

Confira a 31ª edição do Futebol de Goyaz e suas histórias:




Mais notícias




Programa de rádio

Edição 160 - Célio Gaúcho

Todos os domingos às 12h na Rádio 730

Enciclopédia


Em 1965, a Fundação de Esportes proibiu jogos amistosos entre times goianos e equipes como São Paulo, Vasco, Santos e Botafogo para evitar o "estrangeirismo". Como medida, a fundação passou a cobrar taxa de 34% sobre a renda bruta dos jogos diante desses adversários.