16/10/2015 07:40  •  Atualizada em 16/10/2015 07:40

Especial: 1000 jogos do Goiás no Campeonato Brasileiro

Confira todos os dados das mil partidas disputadas pelo Verdão na elite do futebol nacional


Futebol de Goyaz

De 33 a 1000. Entrar na elite do Campeonato Brasileiro representou ao Goiás mudar de patamar para se tornar ao longo dos anos o clube mais vitorioso do futebol goiano. A cartada foi dada em 1973, quando o clube esmeraldino recebeu da antiga CBD (Confederação Brasileira de Desportos) o convite para integrar o campeonato nacional daquele ano.


Até o momento, o Goiás era apenas a quarta força de Goiânia em número de títulos estaduais, mas vinha defendeu o bicampeonato naquele ano. Perdeu o título para o arquirrival Vila Nova, mas garantiu a vaga no Brasileiro. O Goiás passava a representar o futebol goiano perante os grandes clubes do País.


O time esmeraldino não fez feio e conseguiu boas campanhas adquirindo cada vez mais o respeito dos adversários. Tanto que se manteve na elite durante quase todo o tempo. Desde que disputou pela primeira vez, em 1973, o Goiás só esteve fora de cinco edições do Brasileirão. Desta forma, participou de 38 edições incluindo a atual.


Contra o Corinthians, nesta quinta-feira, o Goiás completou seu milésimo jogo na elite e faz história. A mesma contada com riqueza de detalhes pelo Futebol de Goyaz. Através de um levantamento, mostramos, tijolinho por tijolinho (ou jogo a jogo), quem fez parte desta construção histórica.


Confira a lista com os mil jogos do Goiás na Série A


O título nacional ainda não chegou na Serrinha, mas o clube se orgulha de campanhas notáveis na primeira divisão. A melhor delas foi em 2005, quando o time esmeraldino chegou na terceira colocação, atrás apenas de Internacional e Corinthians, e carimbou seu passaporte internacional para jogar a Taça Libertadores da América.


Outra vez que o Goiás bateu na trave foi em 1996. Naquele ano, o clube foi semifinalista e caiu para o Grêmio, campeão daquela edição. Ainda teve destaque nas campanhas de 1979 e na de estreia em 1973, quando chegou a liderar a competição.


O Goiás também conseguiu emplacar três artilheiros absolutos na Série A. Quem puxou a fila foi Túlio Maravilha em 1989, quando anotou 11 gols. Em 2003, Dimba balançou as redes 31 vezes e era até então o recordista de gols em uma só edição, mas no ano seguinte teve a marca quebrada por Washington, que marcou 34 vezes com a camisa do Atlético-PR. Em 2006, Souza repetiu a dose e foi o artilheiro do campeonato com 17 gols. Em 2000, Dill dividiu a artilharia com Romário e Magno Alves ao marcar 20 gols no módulo azul. No entanto, o artilheiro da Copa João Havelange foi Adhemar, do São Caetano, com 22 gols.


 


Recordistas


Ao longo desses 1000 jogos completos, alguns jogadores se destacaram e tem carregada importância na trajetória esmeraldina. Um deles é o ex-goleiro Harlei, que defendeu o clube em 348 jogos, líder absoluto no quesito, já que tem quase o dobro dos 177 do volante Josué, segundo na lista.


Confira o ranking com todos os jogadores que defenderam o Goiás na Série A


Quando o assunto é bola na rede, o maior goleador da história alviverde na elite do futebol é o ex-meia e lateral direito Paulo Baier. O jogador balançou as redes por 50 vezes e ainda é recordista de hat-tricks com três. Por falar em mais gols em uma só partida, Alex Dias tem seu nome garantido na história do clube ao marcar quatro gols na vitória sobre o Botafogo no dia 21 de abril de 2004, em Caio Martins.


Confira a artilharia esmeraldina na Série A


Entre os treinadores, o profissional que esteve à frente do Goiás por mais jogos na Série A foi Hélio dos Anjos com 136 jogos, seguido por Paulo Gonçalves que comandou o time em 119 oportunidades. Quem fecha o pódio é Geninho com 57 aparições.


Veja quais foram os treinadores que comandaram o Goiás na elite do futebol nacional



Mais notícias




Programa de rádio

Edição 160 - Célio Gaúcho

Todos os domingos às 12h na Rádio 730

Enciclopédia


O zagueiro Ed fez o primeiro gol do Goiânia no Campeonato Brasileiro. Ele marcou na vitória do Galo, por 2 a 1, sobre o CEUB (DF), no dia 24/08/1975. O segundo gol alvinegro foi marcado pelo atacante Guilherme.